As angústias dos estudantes de ensino superior sobre carreira

Natália Collor

O que se passa na cabeça de um estudante de ensino superior quando o assunto é mercado de trabalho? Conversamos com a orientadora de Carreira da ESPM Sul, Alyane Aundibert e descobrimos quais as principais angústias dos estudantes.

Os alunos que estão entrando na universidade estão preocupados principalmente sobre estarem ou não tomando a decisão certa para seu futuro. Eles recebem um suporte e auxílio para adaptação dentro da universidade, mas ainda sim o medo de estarem ou não no curso certo os aflige.

Estes são estudantes que estão no final da adolescência, muitas vezes foram morar sozinhos, precisam de ajuda para gerir seu tempo, desenvolverem autonomia e entender de fato seu curso. O trabalho da orientadora de Carreira é oferecer um espaço para os alunos poderem pensar o seu próprio norte e possa construir este processo. Ela aponta algumas das angústias que os estudantes têm: como gerir seu tempo? Será que esta é a melhor escolha para o futuro? Será que vai conseguir trabalho?

Foto: Pexels

A escolha certa não existe. O que existem são escolhas possíveis com base na informação que a pessoa foi capaz de reunir até aquele momento. As escolhas de fato não têm garantia e são apostas que se fazem, destas apostas existem consequeências e assim geram novas decisões. As pessoas tentam tomar boas decisões, isso que importa.

Outro ponto que a orientação de carreira acompanha é o planejamento de carreira. Decidir quais as experiências que devem ser vividas durante a vida acadêmica, por exemplo. Desenvolver habilidades psicossociais, elaborar currículo e simular entrevistas, são algumas atividades. Mas entender o que desejam para a vida também desencadeia outra angústia nos estudantes, assim Alyane ajuda a alinhar a construção de vida que eles têm em mente e o papel do trabalho neste contexto.

A aceitação e reconhecimento por parte de pais e professores é uma característica que Alyane aponta no comportamento dos jovens. É o apoio psicológico por questões pessoais, familiares, conflitos que afetam no acadêmico e profissional que devem ser vistos como um objetivo na orientação oferecida pelas IES e é o que Alyane faz.

Estes alunos chegam até ela através de indicação de professores ou por problemas pontuais. Em outros casos, os professores comentam com ela que talvez determinado estudante precise de acompanhamento.

Empregabilidade e o papel dos escritórios de carreira no Ensino Superior

Quais competências devem ser estimuladas nos alunos de sua IES?

Comentários

Deixe um Comentário